Chama da Esperança (Pira)
 

Cemitério e Crematório da Penitencia

Projeto e Execução 2020

Rio de Janeiro - RJ
Fotógrafo: Crisa Santos Coletivo + Arquitetas

A lâmina de aço rodopia em torno de si mesma. A forma da labareda escultural ascende no movimento fluido que transcende a ideia de limite entre céu e terra. Dá corpo à pira Chama da Esperança, guardiã do fogo que tremula na pluralidade dos sentidos. O fogo que regenera, purifica e transforma. Pulsa como renascimento e renovação pelo poder que emana da natureza. É centelha da vida e irradia o significado sobrenatural da divindade. Fogo que é fonte de luz e elemento dos ritos sagrados. Ilumina caminhos e exorta o medo; aquece corpo, revigora a alma. Energia que magnetiza e fascina pela sutileza. Abriga a fé, acolhe a prece, conforta o coração. Fogo consagrado à cura. Lume de esperança. A peça é uma homenagem aos cientistas da Fiocruz no avanço ao combate da COVID-19. Em 2 de novembro de 2020 ela foi acesa pelo Arcebispo Dom Tempesta em missa campal, sendo apagada quando se iniciou a vacinação contra a COVID-19 no município do Rio de Janeiro e região.